Pedra pedrinha….

Semana passada, recebi a visita do Bebeto Alves e fui presenteado com o seu novo cd “Devoragem”. Logo coloquei no carro pra ouvir o que o Bebeto anda fazendo. Já estou curtindo há alguns dias o cd e, em particular, a música chamada “Pedra Pedrinha”. Muito bacana! Confiram no site dele mais informações: www.bebetoalves.com.br
bjs,
nvs

Show em Caxias do Sul

Oi pessoal!
Os ingressos antecipados para o show do dia 12 de abril, em Caxias do Sul, no Teatro São Carlos, começarão a ser vendidos na próxima semana. Os primeiros 100 ingressos serão vendidos a R$ 15,00.
No início da semana informarei pra vocês onde os ingressos poderão ser comprados!
Novas datas já estão confirmadas! Veja quais são:
Rio Grande, dia 08 de maio, no Teatro Municipal
Pelotas, dia 09 de maio, no Teatro 7 de Abril
Santa Maria, dia 13 de junho, no Teatro 13 de Maio
Por enquanto é isso. Vou informando vocês as novas datas que surgirão!
bjs,
nvs

Dia do Ócio

Trabalhar é importante. Dignificar a existência através da labuta árdua e da dedicação a um ofício faz com que a aceitação social seja plena. O cara pode ser um maluco irascível, mas, se trabalha, não há problema em ser desse jeito. Médicos que deixam o paciente esperando uma hora até atendê-lo, advogados arrogantes que não tem compaixão pelos adversários, músicos que dão empurrão nos fãs. Nada disso tem problema: eles estão trabalhando, saia da frente!!!!
E as crianças? Ainda nos primeiros anos de ensino fundamental são submetidas a uma maratona de atividades escolares, sem mencionar as extra classe como: inglês, natação, judô, xadrez, futebol, ginástica artística e olímpica. Uma loucura! Mas os pais, em geral, orgulham-se de exaurir seus filhos como num frenesi irracional onde quem ocupar mais suas crianças terá feito o melhor! Burrice!
O trabalho é fundamental! O estudo também! Eu acho que realmente são atividades indispensáveis. E, na verdade, não tenho dúvida da importância de ambas. Mas o que acho tão importante quanto o trabalho e o estudo, é o ócio! O ócio é o espaço. O ócio é a mão invisível que molda a força e que dá a importância do trabalho e do estudo; é a lacuna a ser preenchida; é o logradouro das idéias que estão pairando no ar aguardando o momento de serem traduzidas por mentes abertas a elas. Nós precisamos do ócio, tanto quanto do trabalho e do estudo. O ócio é fundamental. Não tenho dúvida da sua importância. Alguns chegam a chamá-lo de criativo: o ócio criativo!
E, num dos meus momentos de ócio criativo, achei que, como o Brasil é o país dos feriados, poderíamos instituir mais um: O dia do Ócio. Não tem o feriado do Dia do Trabalho? Pois então! Teríamos também o feriado do Dia do Ócio. E como a idéia foi minha, poderia ser no dia 5 de outubro, meu aniversário! Que tal? Vamos levar a votação??…rsrs
Bom ócio a todos!
Bjs,
nei

Berinjela!

Já que eu falei em comida ontem, vou postar uma receita de berinjela, que ainda está na safra, e que eu adoro. É muito fácil e rápida de fazer e, como toda receita, depende da qualidade dos ingredientes.
Ingredientes:

- 1 berinjela média
- 1 cebola média/pequena
- 3 dentes de alho
- pimenta calabresa
- azeite de oliva
- manjericão

Como fazer:

Pique a cebola, o alho e o manjericão e reserve. Todos devem ser misturados numa tigela de vidro média com um pouco de azeite de oliva. Coloque a berinjela para cozinhar diretamente no bico do fogão. Vai ficar um cheiro de queimado, mas isso é normal. Vá girando a berinjela sobre o fogo até que toda ela esteja mole. Você poderá ter certeza de que ela está cozida enfiando um garfo e verificando se ele entra solto. Após a berinjela ter sido cozida no fogo, leve-a diretamente para baixo da torneira, segurando pelo cabinho, e descasque-a com a mão, retirando a pele sob a água corrente. Depois de retirada a pele, leve-a até a tigela e retire o cabo, picando-a com uma faca e já misturando ao alho, cebola e manjericão. Adicione um pouco de sal e a pimenta calabresa. À medida que formar uma pasta adicione o azeite de oliva a gosto. Espere esfriar e coloque na geladeira. Está pronto!
Trata-se de uma entrada para ser servida com um pãozinho ou pode servir como um molho para ser colocado sobre a massa.

Esta é uma receita ensinada pela minha mãe.

bjs,
nvs

A gente é o que a gente come

Há muitos anos eu tenho repetido essa frase. Me dei conta de que o sentido, escondido nessa afirmação, se materializa nas mazelas que sofremos com nosso corpo. Doenças, peso excessivo, pressão alta, baixa, osteoporose, dores de cabeça, nas pernas, doenças de pele, coração, pulmão, rins….enfim, tudo! Absolutamente tudo que se relaciona ao nosso corpo tem a ver com o que comemos. Daí a conclusão, um tanto óbvia, mas nem por isso menor, de que a gente é o que a gente come.
Observe uma pessoa perto de você na sua próxima refeição. Veja o que ele terá no prato e note o seu biótipo. Têm ligação? Provavelmente, sim.
Os gordos, em geral, são sorrateiros. Dizem que não estão com muita fome e servem um primeiro prato de salada e depois, sem se dar muito conta, servem mais um prato no capricho e arrematam com um docinho que não deu prá resistir!! É assim, não é?! E, no final, ainda dizem que comeram só uma saladinha e que estão se sentindo super leves! Pobre dos gordos são sempre o bode expiatório!..rsrs.
Há aqueles magros que vivem a base de cigarro e cafezinho e que são pura pele e osso. Não comem quase nada, são nervosos e tem a pele seca. Comem comida procesada, bolachas recheadas ou sanduiches de pão branco com mortadela e queijo. Uma folha de alface ou um tomatinho não chega nem perto desse sanduiche e a bebida é só refrigerante. A velhice desses magros será uma tragédia por toda falta de nutrientes e hidratação adequada ao corpo.
Entre esses dois exemplos triviais há um meio termo que salva e dá qualidade. Pelo menos é isso que eu penso e foi isso que escolhi prá mim. Decidi, ainda, há cerca de 10 anos atrás, dar um passo além: não comer carne. A decisão de não comer carne foi tomada, depois de um sonho, por 2 motivos: primeiro, pelo amor aos bichos; segundo, por uma questão ecológica. Eu explico: eu gosto de bichos e por isso não os mato, consequentemente, não os como; a questão ecológica passa pelo simples fato que vejo como a maior ação que posso fazer para melhorar o nosso planeta é não comer carne pois sei que ¾ de todo desmatamento de florestas no Brasil é para fazer pastagens para o gado. Então se eu não precisar de carne, não precisarão desmatar um cantinho da floresta para criar um boi que vai ser morto para tirar um bifinho para mim. Faz sentido, não faz? Pra mim faz.
Todo esse papo não é nenhuma apologia, nem pretendo convencer ninguém a parar de comer carne. É um fato simples e que faz sentido pra mim. Eu como frutos do mar- não todos- mas digo que sou vegetariano só pra facilitar a vida e não ficar dando explicação ou aturando o papo chato dos que acham que o ser humano foi feito pra comer carne porque tem dois caninos. Papo furado!
Mas o resumo da ópera é esse: a gente é o que a gente come. A próxima vez que você pegar um fast food pra comer, veja o que tem lá dentro e pense! Veja de que foi feito e pense! Se, ainda assim, você quiser, tudo bem, coma! Afinal de contas é só um bifinho que não machuca ninguém além do boi!
Bjs,
nvs

Cortar o cabelo não dói!

Ontem fui cortar o cabelo. Aproveitei e joguei uma tinta também: vermelho! Tenho cortado, ultimamente, na Sexton, uma casa descolada na zona da moda de Porto Alegre, com um talentoso “hair designer”, eu poderia dizer, chamado Artur.
Enquanto o Artur cortava, percebi que ele estava diferente: mais centrado e preciso, com uma visão ampla da incursão que faria no meu cabelo. Depois de conversarmos um pouco sobre amenidades, ele me contou que fez uma viagem a Machupichu e que foi uma experiência mística que teve um impacto importante na vida dele. Logo associei uma coisa à outra. A viagem proporcionou ao Artur uma experiência que repercutiu na sua vida profissional: evoluiu e está exercendo a profissão com maestria!
Mas, na verdade, comecei a escrever esse post por uma outra razão. Quando o Artur colocou a tinta no meu cabelo, tive que ficar alguns minutos esperando a química fazer efeito e vi que ele começou a preparar as tesouras e seu equipamento para fazer o corte. De repente, pensei: será que cortar o cabelo vai doer? Imagina!? Cada tesourada, um grito de dor agonizante e desesperado potencializado pela iminência de outra tesourada que viria logo em seguida. O que fazer? Cortar o cabelo seria um massacre! Um delírio! E o resultado seria que as pessoas não cortariam mais o cabelo porque não iriam querer passar pela dor de cada tesourada, deixariam crescer e teriam metros de cabelos! Uma loucura! Ri sozinho enquanto pensava nessa possibilidade.
Por sorte, foi só um delírio, cortar o cabelo não dói.
bjs,
nvs

Músicas que não podem faltar

Quais são as músicas que vocês acham que não podem faltar no show do Mundo Perfeito? Dêem uma pensada e mandem sugestões de umas…digamos…5 músicas indispensáveis no roteiro do show!
bjs,
nvs

Mundo Perfeito vai começar

No dia 12 de abril vai começar a tour do Mundo Perfeito pelo interior do estado. O que eu quero fazer com os shows desse cd é colocá-los nos teatros que existem e que estão espalhados nos rincões do sul!
Dia 12 será o primeiro, em Caxias do Sul, no Teatro São Carlos. Espero que o pessoal da Serra Gaúcha compareça em peso e me ajude a inaugurar um circuito de música nos teatros que estão sem receber um show de rock há tempos!
Na sequência, darei os nomes dos apoiadores e colaboradores do evento em Caxias e agradecerei a eles pessoalmente, por mim e por todos que forem ao show, por terem acreditado nessa idéia!
Outras cidades estão na lista: Pelotas, Santa Maria e Rio Grande.
Por enquanto é isso! Manterei vocês informados! Comecem a agitar aí que eu estou agitando aqui e quando eu estiver na cidade de vocês, agitaremos juntos!!
bjs,
nvs

A semente

Dentro da semente está escondida uma árvore inteira. Você acredita nisso? Basta dar um pouco de atenção a ela e a árvore aparecerá. Está dentro da semente toda informação, toda a instrução para a transformação e alquimia da possibilidade da existência. Esse exemplo é emblemático e mostra, de forma simples, um fenômeno que ocorre em outras situações, principalmente, no âmbito sentimental do indivíduo.
Preste atenção nas sementes que existem dentro de você. Tente ver como ela pode crescer e em que pode se transformar: amor, ódio, dedicação, bondade, compaixão, medo. Todas estas sementes estão dentro de você. Cuide para que as boas e positivas cresçam e dêem frutos e que as ruins e negativas não recebam atenção. A atenção que você dá é o nutriente para o desenvolvimento das sementes que você traz internamente. Se cultivar, ela floresce; se deixar de lado, ela morre.
Dê atenção às suas sementes e faça com que elas se desenvolvam. Mas faça a separação entre as boas e as ruins. É simples e fundamental, mas não é fácil.
Quando você fica irritado com o motoqueiro que cruzou o sinal no vermelho e pensou dias sobre isso, falando pros amigos e praguejando o desgraçado que fez você correr na faixa de segurança pra não ser atropelado enquanto atravessava, você está cultivando a semente da raiva. Você dá atenção à raiva. Você se torna raivoso.
Quando, na mesma sinaleira, você vê uma mãe empurrando um carrinho com uma criança com paralisia cerebral e sente compaixão por ela, vislumbrando num segundo, a imensa dedicação e provação que ela já passou e ainda terá que passar por toda a vida pra tentar trazer um pouco de conforto àquela criança com destino óbvio, você está cultivando a semente da compaixão. Você dá atenção à compaixão. Você se torna uma pessoa amorosa.
Escolha, entre as sementes que se mostram todos os dias, quais você vai cultivar.
Bjs,
nvs

Gente

Pra quem fica parado, uma tartaruga corre.
Pra quem não faz nada, o tempo nunca é o suficiente.
Pra quem é burro, não há explicação suficientemente esclarecedora.
Pra quem não se compromete, não há confiança.

Há pessoas que gostam de culpar o mundo por sua miséria ou desgraça
Há pessoas que gostam de agradecer ao mundo a sua alegria e fortuna.
Há pessoas que inspiram os outros e mantém o entusiasmo ao longo da vida.
Há pessoas que se conformam.

Eu sou chato, mas sou correto.
Eu sou triste, mas dou risadas.
Eu sou forte, mas fraquejo.
Eu sou gente, mas impermanente.

bjs,
nvs